Arquivos do Blog

Rock in Rio encerra festividades

Termina o Rock in Rio 2011 com edição 2013 já confirmada

Por: Francieli Fão     

O Rock in Rio 2011 termina na madrugada dessa segunda feira na Cidade do Rock no Rio de Janeiro e o blog Mochila Cultural te conta como foram as últimas quatro noites de shows.

As últimas quatro noites do festival emocionaram o público. A apresentação da Orquestra Sinfônica Brasileira na quinta–feira (29) homenageando a lendária Legião Urbana, reuniu um time repleto de estrelas, que mexeu com as emoções do público que cantou juntamente com os artistas os grandes hits da banda. Após isso, os fãs estavam em estado de êxtase à espera da americana Ke$ha, que com seu show pop fez a galera gastar muita energia.

Música pura e simples, sem palcos mirabolantes ou explosões, assim foi Stevie Wonder demarcou sua aula de música black com muito groove e suingue. Ao tocar com a filha a canção“Garota de Ipanema” em português, o público se rendeu às suas graças.

Com três atrações brasileiras, a quinta noite do festival abriu as portas para mais uma noite quente. Marcelo D2 empolgou os rappers de plantão, já o Jota Quest embalou o público em uma balada romântica, preparando o clima para o furacão baiano Ivete Sangalo, que literalmente sacudiu a poeira e fez o público ir ao delírio com seu axé, além é claro, de fazer uma participação no show da colombiana Shakira, este sendo considerado um dos shows mais

Logo do evento que voltou ao Brasil, seu país de origem

empolgantes da noite, ‘enlouquecendo’ o público ali presente. Para finalizar, Lenny Kravitz depois de seu intenso show, não resistiu e correu para os braços da platéia.

Últimas noites do festival

Na noite de 1º de outubro, Frejat e a banda Skank tiveram a responsabilidade de abrir os trabalhos da noite preparando o público para receber os mexicanos do Maná, que levaram o público ao delírio com suas letras românicas. Mas os shows mais aguardados da noite ainda eram da boyband Morron 5, que provou saber o que é fazer um bom show, e a banda gringa Coldplay que fez um giro na história da banda resgatando velhos sucessos mesclados com os do novo CD da banda.

A banda Detonautas abriu a última noite do festival lembrando grandes hits do lendário Raúl Seixas. Pitty foi à única atração roqueira feminina do festival, porém seu show não empolgou tanto quanto deveria, pois esta era a noite em que camisetas pretas, com estampas de bandas, invadiram o festival à espera do metal da banda System Of A Down, que foi considerado um dos melhores shows dessa edição do festival. Na noite em que tudo parecia fora do lugar, devido ao atraso do roqueiro Axl Rose, em meio à chuva que caía na Cidade do Rock, tudo saiu perfeitamente bem, Guns N’Roses abriu o show com a música “Chinese Democracy”, mas foi com a chegada de “Welcome to the Jungle”, e o resto dos clássicos, é que o Rock in Rio veio abaixo.

Festival 2013 está confirmado

O presidente do Rock in Rio, Roberto Medina, confirmou a edição do evento no Brasil para 2013, o evento irá acontecer em dois finais de semana de setembro. Medina oficializou também a diminuição do público para a próxima edição do festival. 85 mil ingressos serão colocados à venda, 15 mil a menos que o da edição 2011. A medida segundo Medina é para evitar os transtornos presentes na edição deste ano: “Sempre foi a idéia do Rock in Rio as pessoas transitarem, e é preciso melhorar este tráfego para 2013. As pessoas precisam ter espaço para deitar no gramado, por exemplo, esse é o nosso espírito.” Medina adiantou que o rock in Rio 2013 terá seis ou sete dias.

Algumas críticas ao evento

A idéia de fazer do Rock in Rio 2011 um festival com atrações ecléticas, atingindo todos os públicos, não foi tão bem aceita pelo público que participou do festival. Brincadeiras como a mudança do nome do evento para “Pop in Rio”, foi apenas uma das formas que o público usou para criticar a escolha de algumas atrações do line-up do evento. A estudante de Tecnologia em Alimentos, Miriele Bueno, 22 anos, comenta sobre as atrações do evento: “Achei boa a ideia de colocarem atrações brasileiras no evento, mas acho que artistas como Claudia Leitte, não combinam nada com a temática, acho que os organizadores deveriam dar oportunidade para bandas gaúchas, por exemplo, que estão mandando super bem no cenário musical a nível de Brasil”.

Este ano, não houve excursões da cidade de Frederico para o Rock in Rio, por uma série de motivos. O principal seria a organização do evento, que nesta edição deu abertura para outros estilos musicais, como nos explica o organizador de eventos e excursões da cidade de Frederico, Fuga: “Olha, para alguns acredito que não “rolou” pelo perfil do evento esse ano, que deixou a desejar em alguns sentidos. A expectativa era para que houvesse contratações para bandas no sentido mais Rock N’Roll. E inclusive têm alguns até falando que esse festival deveria se chamar pelo menos “Pop in Rio” e não Rock in Rio. No quesito bandas, existem muito poucas que são no caso respeitadas, além de ter atrações que não são nem pop”.

Pop ou não, o Rock in Rio reuniu um grande número de pessoas, e através das críticas e elogios, pode-se observar que o gosto pelas manifestações culturais é diferente para cada pessoa. Entretanto, vale ressaltar que o importante é respeitar tais características, porque nem sempre o que lhe agrada, irá agradar o próximo, fica a dica.

‘Oh, menino eu quero é Roooock!’

Rock in Rio celebra a música com diversão 

Por: Franciele Fão

Teve início nesta sexta feira (23) a primeira parte do Rock in Rio no Brasil. Cerca de 15 bandas ou artistas movimentaram o palco Mundo no último final de semana no Rio de Janeiro. Com a frase de uma música da banda Raimundos, o blog Mochila Cultural te conta como foram os primeiros dias de Rock in Rio. Rock in Rio é um festival de música idealizado pelo empresário brasileiro Roberto Medina e realizado pela primeira vez em 1985. Originalmente organizado no Rio de Janeiro de onde vem o nome, tornou-se um evento de repercussão mundial. Ao longo da sua história, o Rock in Rio teve nove edições, três no Brasil, quatro em Portugal e duas na Espanha, quando em 2008, foi realizado pela primeira vez em dois locais diferentes, Lisboa e Madrid. A edição deste ano se realiza no Parque Olímpico Cidade do Rock, no Rio de Janeiro nos dias 23, 24, 25, 29, 30 de setembro, 1 e 2 de outubro de 2011.

Zéco Liberalesso, 24 anos, vocalista da banda frederiquense Áudio Etílico, fala sobre a importância do evento na visão das bandas de cidades pequenas: “A importância do evento é enorme, praticamente abriu as portas para o rock no cenário nacional, pois foi ali, através do Rock in Rio, que se deu a afirmação de muitas bandas como Barão Vermelho e Paralamas do Sucesso, que este ano retornam aos palcos na edição brasileira (do Barão Vermelho, retorna apenas o vocalista Frejat). E também sempre foi um evento que trouxe muitas bandas internacionais para o Brasil, a única coisa é que poxa… Esse ano vai tocar a Claudia Leitte né… no Rock in Rio? Fica estranho…”.

A primeira parte do Rock in Rio terminou na madrugada desta segunda-feira (26). Foram três dias de uma mistura grande de estilos, com várias bandas e artistas tocando no palco Mundo, sem contar nas arenas paralelas montadas na Cidade do Rock.

A abertura do festival contou com a presença dos brasileiros Paralamas do Sucesso, Titãs, Maria Gadú, Milton Nascimento e a Orquestra Sinfônica Brasileira. Milton Nascimento juntamente com a Orquestra Sinfônica Brasileira homenageou Freddie Mercury, lendário vocalista do Queen recebendo milhares de aplausos. Claudia Leitte não ficou só na promessa e fez a galera dançar, preparando a chegada da estrela Katy Perry, que mexeu com a imaginação dos fãs, na mistura de dez looks diferentes. A noite não terminou por aí, Elton John foi muito bem recebido pelos fãs de sua geração e da geração mais nova. O atraso de Rihanna não desmotivou os fãs, que a aguardavam desde o início da noite ansiosos.

A vocalista da banda frederiquense Antonieta, Rúbia Wolf, 21 anos, confessa ser uma das fãs que aguardava ansiosa a transmissão pela televisão dos shows de Katy Perry e da brasileira Maria Gadú: “Como não tive ‘tempo$’ (risos)… Vou ter que me contentar vendo esses shows pela TV mesmo, mas a expectativa para ver Elton John, Maroon 5, Coldplay e Red Hot ao vivo, assim como Paralamas do Sucesso, também é grande, já que são artistas que eu gosto muito”.

Para a segunda noite do festival, os brasileiro da NX Zero e Capital Inicial fizeram as honras pelo Brasil aos milhares de fãs que prestigiaram o evento, preparando o clima para as atrações internacionais como Stone Sour, Snow Patrol e da aclamada Red Hot Chilli Peppers que participou do último evento em no Brasil em 2001.

Surpresa encomendada

O que chamou mais a atenção dos telespectadores foi o show da Red Hot Chilli Peppers. Além de terem tocado durante duas horas, os roqueiros fizeram uma homenagem ao filho da atriz Cissa Guimarães, Rafael Mascarenhas, que era um grande fã da banda, e morreu vítima de atropelamento no dia 20 de julho de 2010 no Rio, enquanto andava de skate em um túnel, que estava interditado para manutenção.

A pedido da atriz, músicos vestiram camisetas em homenagem ao rapaz, e o vocalista Anthony Kiedis falou “Happy Birthday, Rafa! (Feliz Aniversário, Rafa!)”, ao fim da música “Around The World”, já no final da apresentação. O jovem completaria 20 anos neste sábado (24). Para conseguir a homenagem, Cissa mandou um vídeo aos músicos, legendado em inglês, explicando o amor do filho a banda.

A terceira noite do festival ou a noite do metal, trouxe as apresentações das bandas de metal, Glória foi a única banda brasileira da noite que foi vaiada pelo público, que estava mais interessado em ver o Sepultura no palco ao lado. Coheed and Cambria levantou o público com um clássico do Iron Maiden, mas um dos melhores shows da noite foi do Slipknot, que surpreendeu e empolgou as quase 100 mil pessoas presentes na Cidade do Rock, o vocalista Corey Taylor comandou e aqueceu bem a platéia para a entrada final do Metallica.

Por falar em Metallica, no ano em que a banda completa 30 anos de estrada, eles tocaram pela primeira vez no Rock in Rio no Brasil. A banda que foi a mais citada por fãs que responderam à enquete sobre as bandas que tocariam na edição brasileira. Essa é a quarta vinda do Metallica ao Brasil, sendo que o último show foi há doze anos, os fãs aguardam ansiosos pela apresentação que promete matar a saudade desse longo tempo que passaram longe.

E falando em expectativas sobre o show do Metallica, o advogado Juliano Fontana, 23 anos que teve a honra de assistir o último show deles pelo Brasil em Porto Alegre em 1999 e participou do Rock in Rio de 2001 comenta: “Acho que o show do Metallica atendeu sim as minhas expectativas, eles trouxeram de volta o modelo e a essência de rock antigo e do heavy metal, a presença deles foi visceral para o evento”.

Agora, o Rock in Rio dá uma pausa de três dias. E na próxima quinta-feira retoma os shows, com estrelas como Janelle Monáe, Jamiroquai, Ke$ha, Stevie Wonder além da apresentação da Orquestra Sinfônica Brasileira que pretende homenagear a banda Legião Urbana, essa apresentação promete grandes emoções.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: